ACNUR busca US$ 205 milhões para fornecer assistência vital a mais de 1,6 milhão de pessoas afetadas pelo conflito no norte da Etiópia

Data: 04/03/2022 - 17:19  Para: Jornal Dia Dia - Portal de Notícias
Por: ACNUR    Bloquear Agência/Empresa
Remetente: ACNUR - Agência da ONU para Refugiados brabrpi@unhcr.org Telefone: (61) 3044-5744
Minhas Editorias: Cidades Alterar Minhas Editorias
Editorias deste Release: Nacional

A ACNUR foi notificada que este conteúdo não possui relação com nenhuma das editorias informadas.
Ao denunciar 2 vezes no mês a ACNUR será bloqueada para você não receber mais conteúdos.

Você fez 2 denúncias neste mês, portanto, a ACNUR foi bloqueada definitivamente.
Você bloqueou a agência ACNUR para não receber mais conteúdos. Você bloqueou o cliente ACNUR - Agência da ONU para Refugiados da agência ACNUR para não receber mais conteúdos.

ACNUR busca US$ 205 milhões para fornecer assistência vital a mais de 1,6 milhão de pessoas afetadas pelo conflito no norte da Etiópia

Este é um resumo do que foi dito pela porta-voz do ACNUR Shabia Mantoo - a quem o texto citado pode ser atribuído - na coletiva de imprensa de hoje no Palácio das Nações em Genebra

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) espera captar US$ 205 milhões para fornecer assistência e proteção a mais de 1,6 milhão de pessoas deslocadas devido ao conflito no norte da Etiópia.

Dezesseis meses de conflito no norte da Etiópia intensificaram a crise humanitária. As movimentações de civis (pessoas refugiadas e deslocadas internamente) se deram em meio a relatos generalizados de violência de gênero, abusos de direitos humanos, perda de abrigo e de acesso a serviços básicos e níveis críticos de insegurança alimentar.

Mais de 2 milhões de etíopes fugiram em busca de segurança dentro do país e quase 60 mil atravessaram a fronteira para o Sudão. Vários campos e assentamentos que abrigam refugiados eritreus foram atacados ou destruídos, deslocando ainda mais dezenas de milhares na Etiópia.

Os fundos arrecadados nos ajudarão o ACNUR a fornecer proteção essencial e assistência humanitária às pessoas afetadas pela violência. Pelo menos 60 mil famílias deslocadas serão ajudadas com abrigo e itens de emergência. Serão estabelecidos balcões de proteção adicionais – somando-se aos mais de 60 já instalados – para identificar pessoas com necessidades específicas e encaminhar sobreviventes de violência de gênero aos serviços, e apoiaremos a reintegração de 75 mil famílias deslocadas que desejam retornar para suas casas.

O ACNUR parabeniza a resposta rápida do governo etíope para identificar novos locais para acomodar os refugiados deslocados, o que requer recursos. A agência da ONU apoiará o Serviço de Refugiados e Retornados (RRS) do governo e seus parceiros para concluir o local de Alemwach, na região de Amhara, para que os refugiados eritreus possam ser realocados o mais rápido possível e para garantir serviços essenciais. Um novo local temporário para refugiados eritreus resgatados dos combates na região de Afar também precisa de investimento urgente. Juntamente com a RRS e parceiros, será possível trazer 20 mil crianças refugiadas de volta à escola.

No leste do Sudão, o ACNUR fornecerá proteção e assistência essenciais aos refugiados etíopes, inclusive construindo abrigos mais duráveis e fortalecendo os cuidados de saúde e a educação. As atividades para prevenir e responder à violência baseada no gênero e fornecer apoio psicossocial e de saúde mental serão ampliadas.

O ACNUR também aumentará a preparação para inundações e condições climáticas extremas antes da próxima estação chuvosa. As oportunidades de obter renda serão aprimoradas tanto para os refugiados quanto para as comunidades de acolhida.

Dos US$ 205 milhões, US$ 117 milhões apoiarão as necessidades de deslocados internos etíopes e refugiados eritreus nas regiões de Afar, Amhara e Tigray da Etiópia, enquanto US$ 72 milhões nos ajudarão a apoiar refugiados etíopes no Sudão. Cerca de US$ 16 milhões serão usados para preparação como parte de medidas de contingência para qualquer potencial influxo para países vizinhos (Djibuti, Quênia, Somália e Sudão do Sul).

Enquanto o ACNUR continua a reforçar sua proteção e assistência humanitária, reforçamos nosso apelo a todas as partes do conflito para proteger os civis de acordo com suas obrigações sob o Direito Internacional Humanitário e fornecer acesso seguro e desimpedido a todas as pessoas em necessidade.

Assista ao Vídeo.

Link para o Apelo Regional da Etiópia. 

Para mais informações sobre este tema, entrar em contato:

  • Em Nairobi (regional), Faith Kasina, kasina@unhcr.org, +254 113 427 094
  • Em Adis Abeba, Neven Crvenkovic, crvenkov@unhcr.org, +251 948 053 450
  • Em Cartum, Giulia Raffaelli, raffaelg@unhcr.org, +249 (0) 912 167 016
  • Em Genebra, Boris Cheshirkov, cheshirk@unhcr.org, +41 79 433 76 82
  • Em Nova York, Kathryn Mahoney, mahoney@unhcr.org, +1 347 443 7646

Para ver o texto completo no site do ACNUR, clique aqui. 

Fotos

  • Abraht (23) fugiu de sua casa na região de Tigray, na Etiópia, há oito meses, quando já estava grávida de dois meses de seu primeiro filho.
    Abraht (23) fugiu de sua casa na região de Tigray, na Etiópia, há oito meses, quando já estava grávida de dois meses de seu primeiro filho. ACNUR/Olga Sarrado Mur

Responder para: ACNUR - Agência da ONU para Refugiados brabrpi@unhcr.org

Enviando, aguarde

Sua resposta foi enviada com sucesso!

Erro ao enviar resposta, tente novamente

Enviado Por: ACNUR    Bloquear Agência/Empresa
Minhas Editorias: Cidades Alterar Minhas Editorias

A ACNUR foi notificada que este conteúdo não possui relação com nenhuma das editorias informadas.
Ao denunciar 2 vezes no mês a ACNUR será bloqueada para você não receber mais conteúdos.

Você fez 2 denúncias neste mês, portanto, a ACNUR foi bloqueada definitivamente.
Você bloqueou a agência ACNUR para não receber mais conteúdos. Você bloqueou o cliente ACNUR - Agência da ONU para Refugiados da agência ACNUR para não receber mais conteúdos.

Bloqueio realizado com sucesso.